flamengo jogos

SEÇÕES

Polícia Federal intima Deltan Dallagnol para depor nesta sexta-feira, 2

Deputado foi intimado para comparecer à Polícia Federal nesta sexta-feira, dia 2.

Deputado Deltan Dallagnol | Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

Odeputado Deltan Dallagnol (Podemos-PR) recebeu uma intimação nesta terça-feira, 30, para comparecer à Polícia Federal na sexta-feira, 2, para prestar depoimento. A intimação, cujo motivo é um "termo de declarações", foi supostamente emitida pela "Coordenação de Inquéritos nos Tribunais Superiores", embora nenhum dos três órgãos - Supremo Tribunal Federal, Tribunal Superior Eleitoral e Polícia Federal - tenha confirmado sua autoria.

Coincidentemente, o deputado apresentou um recurso contra a cassação de seu mandato ao Tribunal Superior Eleitoral no mesmo dia em que recebeu a intimação. Durante uma entrevista ao programa Roda Vida, da TV Cultura, na noite de segunda-feira, 29, Dallagnol anunciou sua intenção de interpor embargos de declaração contra a decisão de cassação, enquanto também recorreria à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados para contestar o cumprimento da decisão do TSE.

Uma possibilidade é que a intimação esteja relacionada à 13ª Vara Federal de Curitiba. Logo após a cassação de Dallagnol, o juiz Eduardo Appio, que atuou nos casos da Lava Jato na Justiça Federal de Curitiba, determinou que o ex-procurador da força-tarefa prestasse depoimento no caso de Rodrigo Tacla Duran, ex-operador financeiro da Odebrecht. Tacla Duran acusa Dallagnol e o ex-juiz federal e senador Sérgio Moro (União Brasil) de suspeição no processo.

No início de abril, o ministro da Justiça, Flávio Dinopediu ao Supremo Tribunal Federal que abrisse uma investigação contra o deputado Dallagnol devido a declarações sobre uma visita de Dino à favela do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. O ministro acusa Dallagnol de crimes de racismo, calúnia e difamação, após o deputado afirmar que o ministro teria obtido autorização do crime organizado para entrar no território.

Com recurso junto ao TSE, Dallagnol dá início à sua batalha judicial para tentar reaver seu mandato. O ex-procurador foi cassado com base na Lei da Ficha Limpa, e o relator ministro Benedito Gonçalves, classificou sua ação como uma manobra "capciosa", argumentando que, quando deixou o Ministério Público, o deputado tinha 15 reclamações disciplinares em aberto, que poderiam ou não resultar em processos administrativos disciplinares (PAD). A lei determina uma quarentena de oito anos para candidatos que enfrentam algum PAD em aberto ao deixar o MP ou o Judiciário. 

Além de buscar recursos legais, o deputado também está em busca de apoio político para recuperar seu espaço na Câmara dos Deputados. No domingo, 21, ele esteve em Curitiba e participou de uma manifestação e desabafou, afirmando que esavam sendo alvo de perseguição. O deputado ganhou apoio do Movimento Brasil Livre (MBL), que convocou para o dia 4 de juno um ato em defesa do deputado.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
flamengo jogos Mapa do site