gaming 60 keyboard and mouse

SEÇÕES

Enfermeira assassinada estava grávida de 8 meses e cursava mestrado

O corpo de Íris estava coberto com cal, abandonado em uma estrada, na última quinta-feira (11).

O corpo de Íris estava coberto com cal, abandonado em uma estrada, na última quinta-feira (11). | Reprodução
FACEBOOKWHATSAPPTWITTERTELEGRAMMESSENGER

A enfermeira Íris Rocha, de 30 anos, assassinada a tiros em Alfredo Chaves, Região Serrana do Espírito Santo, estava grávida de oito meses e era mestranda em Ciências Fisiológicas na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), relatou a mãe da vítima. O corpo de Íris estava coberto com cal, abandonado em uma estrada, na última quinta-feira (11).

"A polícia descobriu um cadáver jogado na mata de Alfredo Chaves e aí foi confrontar com todas as Íris, porque com o corpo só tinha um cartão com o nome Íris, mas podia ser qualquer Íris. E aí chegou até mim. Ele foi falando das características e foi acontecendo as coincidências. E aí no final a gente percebeu que era a Íris, minha filha querida, amada", disse a mãe à TV Gazeta.

A enfermeira estava grávida de oito meses e esperava uma menina que, segundo a mãe, iria nascer em fevereiro. Ela também tinha um filho de 8 anos. Íris Rocha morava em Jacaraípe, na Serra, Grande Vitória. O velório foi realizado na manhã desta terça-feira (16) e o sepultamento será no Cemitério Jardim da Paz, na Serra.

Enfermeira assassinada estava grávida de 8 meses e cursava mestrado | FOTO: Reprodução

"Tão jovem, tão cheia de sonhos. E a gente precisa que seja feita a justiça, porque foi uma maldade que fizeram com ela. Grávida de 8 meses de uma menina que ia se chamar Rebeca e nasceria no máximo dia 20 de fevereiro [...] Ela tinha muitos sonhos e deixa um filho de oito anos que ela amava muito e ele também ama muito ela, é muito triste", lamentou a mãe.

A enfermeira fazia mestrado na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) desde março de 2023. A Ufes publicou uma nota de pesar sobre a morte de Íris. O Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo (Coren-ES) também se manifestou sobre a morte de Ísis.

"É com profundo pesar que o Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo (Coren-ES) recebe a trágica notícia do falecimento da enfermeira Íris Rocha, de 30 anos, ocorrida de forma brutal em Alfredo Chaves, no sul do estado. A jovem, que dedicou sua vida ao cuidado e bem-estar dos pacientes, foi vítima de um ato de violência que choca a todos nós. Que a memória de Íris Rocha permaneça viva em nossos corações, como exemplo de dedicação e amor à profissão", lamentou o Conselho.




Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos
gaming 60 keyboard and mouse Mapa do site